Aproximando-se o dia de natal e é importante lembrar a importância da docência como profissão que pode gerar novas realidades para os estudantes e suas famílias, assim como para os próprios professores e professoras. Paulo Freire dedicou sua obra à necessidade de denunciar as feiuras do mundo, mas também de anunciar possibilidades de fazer do mundo um lugar mais bonito. A educação, para ele e para muitos de nós que nos envolvemos com essa epopeia, é a via mais efetiva para isso. Mas já sabemos, que se trata da educação apoiada em sonho e ciência, como o próprio Freire afirmou.  Não nos bastam apenas boas intenções ou discursos críticos ou humanistas que menosprezam o quefazer de que falava Freire.

Ramón Flecha, Marta Soler, Rosa Valls, Lidia Puigvert, Jesús Gomés e tantos outros educadores e pesquisadores dialógicos vêm se dedicando a construir a educação com base em sonho e em ciência para a melhoria da vida de milhões de pessoas. A criação das Atuações Educativas de Êxito (AEE) materializa de forma rigorosa os elementos necessários a práticas pedagógicas comprometidas em efetivar a aprendizagem de qualidade por todos os estudantes, ao mesmo tempo que se estabelece e aprofunda o convívio amoroso e respeitoso entre todos.

E é a esse tipo de conhecimento científico e de práticas pedagógicas que Periódico Educación tem se dedicado a difundir a docentes, familiares, estudantes, formadores e pesquisadores em educação. Assim, gostaria de aqui comemorar a existência do PE e destacar três de seus tantos artigos que mostram a docência como a profissão cheia de sentido social e de realização humana:

  1. O artigo de Javier Pérez Bermejo, professor especialista em língua estrangeira (inglês) numa escola pública da Comunidade Autónoma da Regão de Murcia, sobre Evidência Científica e Inclusão de estudantes com TEA. O artigo traz um depoimento sensível e amoroso. Ele expressa a angústia de tantos professores e professoras que desejam que a inclusão dos estudantes com necessidades especiais garanta a crianças e jovens sociabilidade positiva e também aprendizagem escolar. E Javier revela como buscou conhecimento científico qualificado nas melhores revistas mundiais para construir respostas efetivas que melhoraram as vidas dos estudantes, das famílias e sua própria vida docente. Atuações Educativas de Êxito foram a via de concretização das relações e conhecimentos!
  2. O artigo de Sara Carbonell, sobre Atuações Educativas de Êxito na Prevenção e Superação de violência nas escolas aborda práticas comprovadas cientificamente que fream o bullying e a violência. Professora de educação especial e fundamental, diretora do CEIP L’Escolaica e professora associada da Universidade Rovira i Virgili, Sara tece considerações sobre como muitas práticas estabelecidas em escolas e difundidas por universidades não estão baseadas em evidência científica e geram situações que vitimizam ainda mais as vítimas. Oferece em contrapartida dados e práticas que efetivamente fortalecem a comunidade e garantem violência zero nas escolas. Não é à toa que seu artigo se intitula: Fico com meus amigos!
  3. Por fim, o artigo de Luis Miralles, professor de séries iniciais do ensino fundamental, expressa a construção da docência como espaço cheio de sentido, quando reúne ciência, sonho e mais… amizades. Toca num tema central da docência queixosa e difícil: a falta de bases seguras para o trabalho complexo. Anima colegas de todo o mundo a realizarem práticas com base em evidências científicas e impacto social e então afirma: Adoro estar em sala de aula!

Fica aqui o convite a docentes de todo o mundo pra reencantar suas ações profissionais com base em sonho e ciência. Periódico Educación nos traz muitos presentes para sonhar e viver 2024 com mais sentido! 

[Imagem: Freepik]

Por Roseli R. Mello

Profesora titular en la Universidad Federal de São Carlos (UFSCar), Brasil. Creó el Núcleo de Investigación y Acción Socioeducativa (NIASE). Fue coordinadora del Programa de Acción Afirmativa de la UFSCar entre 2012 y 2013 y, de 2014 hasta 2020, del proyecto de movilidad académica internacional para estudiantes indígenas de la misma universidad.